O mercado brasileiro de milho teve uma quinta-feira de preços firmes. Segundo o consultor de Safras & Mercado, Paulo Molinari, as cotações seguem sustentadas pela oferta limitada. As atenções estiveram voltadas para a volatilidade na Bolsa de Chicago e no dólar.

Chicago

A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou com preços mais altos. O mercado foi sustentado pelo resultado positivo das exportações semanais norte-americanas e com as renovadas preocupações com a segunda safra brasileira, prejudicada pela falta de chuvas.

As vendas líquidas norte-americanas de milho para a temporada comercial 2017/18, que tem início no dia 1º de setembro, ficaram em 1.019.900 toneladas na semana encerrada 26 de abril.

O número ficou 46% superior ao da semana anterior e 16% acima da média em quatro semanas.