A Universidade Federal da Fronteira Sul vem fazendo história na formação de indígenas.

Depois de conceder os primeiros títulos de mestre e especialista a acadêmicos indígenas, o Campus Laranjeiras do Sul formou, no início deste mês, sua primeira turma do curso Interdisciplinar em Educação do Campo: Ciências Sociais e Humanas, entre os novos graduados, três são indígenas.

Os acadêmicos, agora formados, Adelar Fagpri Felix Nunes Manduca, Elizandra Fygsãnh Freitas e Viviane Kellen Vygte Barão são da etnia Kaingang, oriundos da terra indígena Rio das Cobras, localizada em Nova Laranjeiras-PR. Comprometidos com suas origens, os trabalhos de conclusão de curso dos três graduados abordam temáticas relacionadas à terra indígena.

Sobre as experiências e importância do Curso, Elizandra enfatiza que enfrentaram muitas dificuldades durante o curso, principalmente no que diz respeito à Língua Portuguesa. “Todas as vezes que pensávamos em desistir, lembrávamos de nosso povo e que, apesar de querermos permanecer em nossa cultura, precisamos buscar novos conhecimentos, para assim enfrentar os preconceitos que ainda sofremos. Por isso, ter entrado no curso foi muito importante e, como ele é em regime de alternância, podíamos estar ao mesmo tempo com nossa comunidade e na Universidade.”

Viviane também destaca que a língua foi uma das maiores dificuldades, não somente na Universidade, mas desde a Educação Básica, pois a maioria dos professores são não-índios. Para ela a alternância é um dos principais motivos que colaboram para que os indígenas permaneçam no curso. “Quero continuar estudando para poder atuar na educação indígena, de acordo com as necessidades da minha comunidade e da nossa juventude. Se hoje estou na Universidade é pelo incentivo que recebo de minha família, para poder lutar por eles e por minha comunidade”.

Neste sábado dia 17, ocorreu a cerimônia de Colação de Grau dos cursos: Agronomia, Ciências Econômicas, Engenharia de Alimentos, Engenharia de Aquicultura e Interdisciplinar em Educação no Campo.