“Mil horas de saudade” conta a história de um casal que foi apaixonado, mas acabou pondo um fim no relacionamento. Nos momentos de solidão, as lembranças do que passou tomam conta do pensamento e viram música. Esta é a letra da música autoral que será lançada no dia 17 de fevereiro, a partir das 23 horas, na MUV, em Guarapuava. O evento marca também o lançamento da carreira solo do cantor Giovanni.

Ele começou a tocar violão aos quatro anos de idade incentivado pela família paterna e pela mãe Marisol, já falecida. Aos oito anos, Giovanni Horst, dominava as cordas do violão e anos mais tarde, aos 14 anos, começou a cantar na igreja, sempre incentivado pelo irmão Angelo. “Foi ele que meu a base musical e sou grato por isso”.

O início da carreira foi dominado pelo pop rock e pelo rock nacional motivando a formação de bandas na escola. Mas a partir de 2011 com a febre do sertanejo universitário, Giovanni mudou de gênero, inspirado por Luan Santana. “Entrei no embalo do sertanejo universitário e formei uma dupla com Naylon, que era meu vizinho na Vila Carli e com quem tocava desde os oitos anos de idade”. Depois surgiu Lucas & Giovanni, Hammes e Fellipe, que durou dois anos e que gravou a primeira música autoral no Estúdio San Rafael, de Prudentópolis. A letra foi composta por Tiago, de Paranaguá.

Com a dupla desfeita, Giovanni parte agora para uma carreira solo. “O meu sonho é ser reconhecido nacionalmente e vou apostar nesse objetivo”. Fã clube, embora informal, ele já tem, não só em Guarapuava, mas também nos municípios da região, já que é requisitado para tocar em bares, festas e outros eventos sociais. “Já cheguei a ter a agenda da semana lotada”. Nesse casos, o repertório é eclético e há música para agradar todos os gostos. “Você tem que estar ligado no público e tocar o que ele gosta”.