O Colégio Estadual Pedro Carli, em Guarapuava, na região central do Paraná, que está com as obras paradas desde maio de 2015, em vez de ser ocupado por alunos virou um chiqueiro. Além dos porcos, o local também abriga cães e galinhas.

O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) determinou a paralisação da obra por suspeita de irregularidades investigadas na Operação Quadro Negro, que apura o desvio de mais de R$ 20 milhões na construção e reformas de escolas estaduais do Paraná.

Além dos animais, o local tem sido alvo de vandalismo. Um incêndio atingiu o depósito de materiais de construção da obra na noite de segunda-feira (12), conforme o Corpo de Bombeiros.

A deterioração da obra pode aumentar o custo previsto para conclusão da escola, de R$ 3,2 milhões. Outros 1,7 milhão já foram gastos. O colégio foi projetado para abrigar 1,5 mil alunos e ter 12 salas de aula.

Segundo o chefe do Núcleo Regional de Educação (NRE) de Guarapuava, Marlon Douglas Pires, a obra foi novamente licitada.

“O prazo contratual prevê a conclusão em 300 dias letivos, mas temos a questão de tempo, das chuvas. Temos que administrar isso, mas tenho certeza que em 300 dias ficará pronta”, afirmou.

O NRE informou ainda que não há verba para colocar seguranças na obra e que essa será uma responsabilidade da construtora que venceu a nova licitação. Veja a matéria completa clicando aqui.