A possibilidade do cumprimento de novos mandados de reintegração de posse no município de Pinhão preocupa o prefeito Odir Gotardo (foto). Segundo ele, a sociedade pinhãoense está indignada com a reintegração cumprida na sexta feira (01), quando foram despejadas 22 famílias, que há mais de 30 anos viviam na localidade de Alecrim, na zona rural do município.

“Se houver novos cumprimentos judiciais, Pinhão vai viver uma guerra civil”. De acordo com o prefeito, um terço da população do interior do município vive em áreas ocupadas e pertencentes à Indústria João José Zattar. “ Eles [Família Zattar) possuem entre 35 mil e 40 mil hectares espalhadas pelo município. Temos mais de três mil famílias que vivem nessas áreas e a sociedade pinhãoense não vai suportar novas desapropriações”.

Segundo Gotardo, embora a ação de reintegração de posse na comunidade Alecrim seja de 1997, o mandado só não tinha sido cumprido por falta de força policial. “Essa insurgência de agora é porque a Secretaria de Estado da Segurança Pública cedeu o aparato policial para esse cumprimento”.

A preocupação do prefeito é também sobre o “caos social” que vai imperar no município, caso novas desocupações sejam cumpridas. “São três mil famílias que vão parar onde e viver como?” Os produtores cultivam horta de sobrevivência e criam animais para o consumo, em atividades típicas da agricultura familiar.