Em sessão administrativa realizada nesta quinta-feira (3) no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), definiu-se que a implantação do voto impresso no Brasil será feita de maneira gradual. Para as eleições deste ano, serão 23.000 conjuntos de impressão de votos distribuídos em todo o país de forma proporcional ao eleitorado de cada estado.

O Paraná receberá 1.248 conjuntos, enquanto São Paulo, o estado com maior número de eleitores, receberá 5.208. O estado com o menor número de urnas com voto impresso é Roraima, com 52. Cabe aos regionais, no período de 23 de julho a 31 de agosto, a definição das seções eleitorais que receberão os equipamentos.

A impressão do voto está prevista na Lei 13.165/2015, aprovada pelo Congresso Nacional. O presidente de TSE, ministro Luiz Fux, lembrou nesta quinta que existe uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 5889) que questiona a necessidade do voto impresso. Essa ação considera injustificável essa medida tendo em vista a invulnerabilidade do processo de totalização dos votos.