RESERVA DO IGUAÇU

Projeto estimula plantio de erva-mate consorciada a araucária no interior de Reserva do Iguaçu

02 de dezembro de 2019

O técnico florestal da Emater Vinicius Tina esteve em Reserva do Iguaçu e junto com a secretária de Meio Ambiente, Suzana Andria e do engenheiro florestal Murilo Bardal, da Copel, deram inicio ao projeto que estimula plantio de erva-mate consorciada a araucária em áreas de faxinais.


EMATER


 Como já é culturalmente tradicional nas propriedades rurais da região o extrativismo da erva-mate, a Emater vem trabalhando com a assistência técnica junto aos produtores para garantir uma boa produção e também a longevidade e perpetuação da erva-mate na região. “Projeto erva-mate contempla 145 municípios e Reserva do Iguaçu é um deles, temos compromisso de dar um suporte técnico para melhoria dos ervais nativos e da produção já existente” detalhou o técnico.


O projeto vai beneficiar 22 famílias com 15 mil mudas, em torno de  750 por produtor, que daqui dois a três anos vai gerar 40 mil quilos de erva-mate e uma receita de 3 a 4 mil reais. Ele lembrou que são áreas que hoje tem pouca ou nula produtividade de erva-mate, o projeto estará fortalecendo a agricultura familiar do município. “É importante ressaltar o interesse da prefeitura por meios da secretaria de Meio Ambiente que criou o ambiente possível para que possamos desenvolver o projeto”, frisou Vinicius.


A proposta é que os produtores também recebam a assistência técnica do IAP e mudas da Copel de erva-mate para adensar e enriquecer a floresta nativa.


Vinicius elogiou o Projeto elaborado pela secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, “O projeto de Reserva do Iguaçu serve de modelo para vários outros municípios da região, pois a erva- mate é um produto nosso e compõem a renda de quase oitenta por cento das propriedades rurais, tem o foco nas pequenas propriedades e traz benefícios sociais, econômico e ambiental, preserva e perpetua  a erva-mate no ambiente, pois será manejada com técnica para garantir sua longevidade produtiva”, afirmou o técnico.


SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE


Suzana explicou que o projeto tem também como parceira a Embrapa floresta de Colombo, pois a proposta é consorciar a erva-mate com a araucária de enxerto.


O ponto central do projeto é o desenvolvimento sustentável e a geração de renda, “A proposta é o incremento na atividade da assistência técnica e organização pra comercialização agregando valor ao produto. O objetivo final é ter o extrativismo sustentável da erva-mate consorciada com araucária de enxerto, ambas as atividades focadas na geração de renda com o desenvolvimento sustentável”, detalhou a secretária.


FAXINAL DO SOARES, A COMUNIDADE ESCOLHIDA


Suzana explicou que eles estão iniciando o projeto na comunidade de Faxinal do Soares por ser a comunidade sede das estações ecológicas fazendo parte da zona de amortecimento das estações e também por ser região característica de produção e já ter atividades no extrativismo de erva-mate.


 


 


 

PB Agência Web